(19) 3522-5555 - (19) 3527-0149 | WhatsApp: 99611-7400 | hotel@hoteltertulios.com

Você conhece a história de Rio Claro
14 maio

Você conhece a história de Rio Claro?

Quantas vezes você viajou para uma cidade e aproveitou bastante, visitou muitos pontos turísticos mas não sabe como aquela cidade foi fundada, qual a história do lugar onde ficou hospedado?

Rio Claro é uma cidade hospitaleira, um lugar perfeito para relaxar, aproveitar passeios que tenham contato com a natureza, festivais de balonismo e visitar os vários museus que estão na cidade. 

A hospedagem em Rio Claro também é conhecida por ser uma das melhores, pois os seus hotéis e pousadas oferecem qualidade no atendimento e na comodidade também. Você pode contar com todo conforto e tranquilidade.

Mas a cidade tem sua história e possui suas curiosidades como todas as outras. Se ficou curioso sobre Rio Claro, continue lendo!

História de Rio Claro

Rio Claro foi fundada em 10 de junho de 1827, porém ela só se tornou um município em 1845, 18 anos mais tarde. Teve início em outras denominações: São João Batista Claro ou São João Batista do Morro Azul.

No século XVIII, por causa da descoberta do ouro em Cuiabá – Mato Grosso, desde 1719, paulistas já cruzavam sertões ou campos de Araraquara, que passavam além de Rio Claro, nos atuais municípios de Araraquara, que é o São Carlos, e Descalvado. Faziam isso para evitar a febre do roteiro do Rio Anhembi.

Aventureiros e Bandeirantes começaram a se fixar ali, construindo as primeiras casas em suas propriedades, que era na margem do Ribeirão Claro. Ali tornou-se um dos principais locais de repouso dos viajantes dos sertões.

Assim começaram os primeiros informes sobre o Morro Azul, entretanto o primeiro vínculo com o lugar foi só no século XIX, quando a Vila de Moji-Mirim mandou para lá os primeiros povoados. 

Em 1817, Manoel de Barros Ferraz e a família Galvão, que são precedentes de Itu, representada por Joaquim Galvão de França, requereram o primeiro lote de terra no sertão do Morro Azul, mas depois foi vendida. 

Depois de alguns anos, essa gleba virou a Fazenda Ibicaba, e o senhor Nicolau Vergueiro, que era associado ao Brigadeiro Luiz Antonio, fundou o Engenho de Ibicaba, que era dedicado à fabricação de açúcar e a criação de animais, realizando um trabalho de colonização.

No outro ano, a família Goes Maciel conseguiu o segundo lote de terra na região e três anos depois os irmãos Pereira conseguiram no lugar que era denominado Ribeirão Claro, onde formaram uma fazendo de criação, chamada de “O Curral dos Pereiras”. 

Em 1822, com a criação da Vila da Constituição, que é Piracicaba nos dias de hoje, começou a formar-se um povoado, denominado como São João Batista do Ribeirão Claro. 

Outro lote importante foi concedido para as margens do rio Corumbata, que era do Capitão Francisco da Costa Alves, nessa fazenda foi criada uma capela, sob a inovação de São João Batista.

Foi a partir dessas concessões de lotes que os fazendeiros abastados começaram a chegar no lugar, levando consigo escravos, agregados, força e dinheiro. Entre os primeiros colonizadores de Rio Claro, estão: Costas Neves, Os Góes, Paes de Arruda, Senador Vergueiro, Cardoso de Negreiros, Paes de Barros, entre outros.

Mais tarde, alguns imigrantes suíços e alemães foram chegando no local através do Senador Vergueiro, para sua colônia Agrícola de Ibicaba.

Religião

O Padre Delfino – Delfino da Silva Barbosa – celebrou uma missa em Corumbataí, do seu amigo Francisco da Costa Alves, levou uma imagem de São João, que depois disso, se tornou padroeiro da região.

Os habitantes locais, sabendo da vinda do Padre para perto dos lares, construíram uma casa paroquial e uma pequena igreja improvisada nas terras de Manoel de Paes Arruda. com isso, surgiram novas construções em volta, como casas residenciais e comércios.

Vendo a iniciativa do povo, Paes Arruda e Manoel Afonso Taborda doaram um patrimônio de São João Batista, que era a futura cidade, para a construção definitiva da igreja. 

Em 1826 cogitaram transformar o lugarejo em uma capela curada, porém houveram divergências quanto ao lugar que iria ficar, pois tanto os que tinham propriedades ao sul do Curral do Pereiras como os que tinham ao norte da Fazenda Costa Alves se avocavam desse direito.

Quem decidiu o local onde iria ficar a capela curada foi Antonio Paes de Barros, que mais tarde foi Barão de Piracicaba, ele deliberou que fossem comprados os terrenos do Curral dos Pereiras e do Manoel Paes de Arruda e Manoel Afonso de Taborda. 

Assim, os próprios moradores fizeram uma petição ao vigário capitular, em São Paulo. Eles mostraram que era conveniente que a capela fosse criada em São João Batista do Ribeirão Claro. A petição foi atendida em 1827, mas só no outro ano que o Padre Delfino foi para a matriz, porém só foi terminada a construção em 1830.

Modernização

Anos depois, foi concedida a ligação entre Campinas e Rio Claro para a Companhia Paulista de Estrada de Ferro. Foi inaugurada em 1876. Uma nova ferrovia , ligando Rio Claro à São Carlos e Araraquara foi construída, isso foi entre 1881 e 1885, pela Companhia de Estradas de Ferro Rio Claro, que hoje é a atual FEPASA.

O município de Rio Claro surgiu em 1845, que foi quando ganhou a sua autonomia administrativa, com o nome de São João do Rio Claro, mas em 1905 seu nome foi abreviado para o que conhecemos hoje, Rio Claro.

Vai para Rio Claro? O Hotel Tertulio ‘s, Hotel em Rio Claro – SP, oferece as melhores tarifas para você. Acesse o site.